Igreja do Evangelho Quadrangular  
Página Inicial Agenda Fale Conosco


 
   

Notícias



A trajetória de Aimee Semple McPherson
08/06/2011 - 16:38
A gloriosa trajetória de uma mulher vitoriosa, que ouvia a voz de Deus e obedecia prontamente.
A trajetória de Aimee Semple Mcpherson
 

Aimee Kennedy nasceu no dia 9 de outubro de 1890 em uma pequena fazenda próxima a Ingersoll, em Ontário, Canadá. Esse foi o local em que Aimee passou sua infância e adolescência. Ela era a filha única de James e Minnie Kennedy.

 

Quando jovem, Aimee frequentava a Igreja Metodista, mas se afastou quando passou a se interessar por outras atividades - cinema, patinação no gelo, romances e bailes. Durante o colégio, ela ficou fascinada pela teoria da evolução de Darwin. Nesse período, chegou a duvidar de suas crenças e até mesmo de Deus - ela tinha dezessete anos. Foi uma fase muito complicada para ela, pois causou muita tristeza à sua mãe.

 

Aimee não suportava mais a situação que estava vivendo, e em uma noite no seu quarto clamou a Deus: “Oh, Deus, se há um Deus, revele-se a mim”. Ela estava prestes a ter sua dúvida respondida. No dia seguinte, enquanto caminhava com seu pai no centro da cidade, Aimee viu uma placa que anunciava cursos de avivamento pentecostal e foi à próxima reunião, acompanhada por seu pai.

 

Naquele dia, ela ficou marcada em dois momentos. O primeiro foi durante a mensagem trazida por Robert Semple, baseada em Atos 2.38 - foi naquele momento que ela reconheceu seus pecados. O segundo momento que a marcou foi quando Robert Semple começou a falar em línguas. Ele estava de olhos fechados e seus braços estavam estendidos em direção a Aimee. Ela sentiu como se Deus lhe falasse sobre sua vida, e ali reconheceu que Ele mostrava que ela era uma pobre e perdida pecadora.

 

Aimee ficou confusa durante alguns dias. Sabia que Deus estava certo sobre ela e sobre a necessidade de ter um verdadeiro encontro com o Senhor. Ao voltar da escola, rogou novamente a Ele: “Senhor Deus, tem misericórdia de mim, pecadora!” O peso dos ombros de Aimee acabou e uma alegria, jamais sentida antes, tomou conta do coração da jovem. Ela decidiu se afastar de tudo que não a conduziria ao caminho do Senhor. Naquele dia, Aimee se converteu.

 

O Chamado

 

Mesmo tomada por uma euforia muito grande, Aimee sentia que faltava algo. A sensação de que devia realizar alguma coisa por Deus tomou conta dela e, em oração, percebeu que devia levar aos outros aquilo que havia alcançado. Como não sabia o que fazer, ela então passou a estudar a Bíblia procurando desvendar o segredo daqueles que serviram a Deus – o que encontrou no livro de Atos.

 

Aimee passou a frequentar as reuniões na casa de uma senhora que pertencia à Missão Pentecostal. A mulher já havia sido batizada com o Espírito Santo e este era um dos motivos que levava Aimee a faltar às aulas para participar das pregações.

 

A jovem queria muito ser batizada com o Espírito Santo, e junto da senhora permanecia orando durante todo o dia para que ela ficasse na cidade até receber o batismo. Certo dia, quando tentava voltar para sua casa, foi impedida por uma forte tempestade de neve que havia paralisado os trens e interditado as estradas. Ela teve que ficar na casa da tal irmã por toda a semana.

 

Aquele foi um período de muita oração e, em um sábado, Aimee ajoelhou-se na sala orando e pedindo pelo batismo com o Espírito Santo. Em determinado momento, Aimee foi tomada por uma alegria muito grande e teve uma visão. Ela viu um campo de trigo e aquele trigo se transformou em rostos humanos e as folhagens em mãos erguidas. Ela ouviu as palavras do Senhor que diziam: “Os campos já estão brancos para a ceifa. A seara é grande, porém poucos os ceifeiros. Rogai, para que o Senhor mande ceifeiros para sua seara”. Logo depois disso, ela enxergou o Senhor colocando uma foice de dois gumes em suas mãos e sentiu o seguinte chamado em seu coração: “Vais recolher o trigo, mas lembres sempre que a foice te é dada para cortar o trigo. Muitos ceifeiros usam-na corretamente apenas poucas horas e depois começam a cortar e marcar os seus colegas. Aplica-te à tarefa que está perante a ti, corte somente o trigo e recolhe os molhos preciosos”. Foi naquela manhã que Aimee recebeu o batismo com o Espírito Santo.

 

Tempos depois, Aimee escreveu o seguinte sobre essa experiência: “Dentro do meu coração ficaram duas convicções: primeira que o Consolador tinha entrado para ficar e viver em consagrada obediência à Sua vontade; segunda, que eu tinha recebido um chamado para pregar o evangelho eterno”.

 

Casamento e início de seu ministério

 

No dia 22 de agosto de 1908, Aimee Kennedy casou-se e tornou-se a Sra. Robert Semple. Juntos, o casal iniciou um ministério de evangelização.

 

Aimee sofreu um acidente que causou uma fratura grave em um de seus pés. As dores eram muito fortes e, estando em uma conferência, decidiu voltar para casa e descansar. Deus, no entanto, quis que ela voltasse e recebesse a oração de cura do Reverendo Durham. Ela voltou e foi curada milagrosamente.

 

O casal Semple foi à China para trabalhar como missionários e lá ambos foram acometidos por malária. Robert Semple faleceu e Aimee decidiu retornar para os Estados Unidos com a filha recém-nascida, Roberta, nome dado em homenagem ao pai.

 

O desejo de Aimee era ter novamente uma família completa e no decorrer dos anos ela conheceu Harold Stewart McPherson. Eles e casaram em 28 de fevereiro de 1912. Dessa união, nasceu Rolf Kennedy McPherson.

 

O fato de se dedicar inteiramente à família estava fazendo com que Aimee se afastasse cada vez mais de seu ministério, mas ela sentia que Deus a queria de volta. Ela então acabou entrando em depressão.

 

A saúde de Aimee foi ficando cada vez mais debilitada e ela passou por várias cirurgias. Sempre clamando para que Deus a curasse, ela sentia que Ele lhe dizia: “Tu irás? Pregarás a Palavra?” Quando chegou à beira da morte, ouviu novamente o Senhor dizendo: “Agora, tu irás?” Aimee reuniu suas forças e foi. Entendeu que jamais se deve fugir da vontade de Deus.

 

A Visão de Ezequiel

 

Durante uma das muitas campanhas realizadas por Aimmee Semple McPherson, uma mensagem pregada teve o poder de mudar sua vida. A partir daquele momento, uma nova Igreja nasceu, não vinda de divisões ou dissensões, mas direto do coração de Deus, para ela e para os que se uniram a ela.

 

A passagem narrada era Ezequiel 1.1-28. Ao ler esse trecho, em que o profeta narra a visão de um ser semelhante ao homem, com quatro cabeças e com pés de bezerro, Aimee teve um momento extasiante e indescritível. Suas palavras foram: “Os dedos do Espírito arrebataram as cordas da harpa eólica do meu coração e evocaram uma sublime e maravilhosa melodia semelhante ao som de um grande amém”. Assim surgiu a mensagem quadrangular, que pouco tempo depois se transformou em igreja.

 

Rosto de Homem: o pecado chegou ao mundo pelas mãos de um homem e a redenção também. O homem puro e sem pecado é semelhante ao cordeiro sem mácula que foi oferecido como sacrifício por Israel.

 

Rosto de Leão: o leão simboliza a força e o poder, assim como é o Espírito Santo, que foi enviado para revestir os salvos, para que eles pudessem dar sequência ao ministério de Jesus depois que Ele subiu aos céus. Graças ao poder do Espírito Santo, o homem tem coragem para vencer as armadas malignas, pregar o Evangelho do Reino e fazer as obras que Jesus fez e quer que sejam feitas.

 

Rosto de Águia: a águia é utilizada para observar a figura de Jesus como grande Rei, uma vez que é considerada a rainha dos céus. Em determinado tempo de sua vida, a águia se renova, ressurgindo revestida em nova vida, de maneira majestosa. Assim será com Jesus, Ele voltará em glória e majestade para buscar sua Igreja.

 

Rosto de Boi: o ministério é simbolizado pelo boi, um animal forte e capaz de remover grandes fardos, mas considerado servil.

 

Campanhas e viagens

 

A primeira campanha realizada por Aimee foi na cidade de Mount Forest, no Canadá, em 1915. Nas duas primeiras noites de pregação o salão estava quase vazio, mas ela não desistiu. No terceiro dia ela pegou uma cadeira e foi até uma esquina próxima ao salão. Aimee subiu na cadeira, fechou os olhos, levantou os braços e começou uma oração silenciosa. Ouviu burburinhos, desceu da cadeira e disse: “Depressa, venham comigo”, e saiu correndo. Todos que estavam ali a acompanharam.

 

Ao chegarem ao salão, Aimee pediu que as portas fossem fechadas para que ninguém pudesse sair dali. Nem era necessária tal medida, pois todos ficaram até o final da pregação. Nos dias que se seguiram, o número de pessoas não parava de aumentar e foi preciso fazer as pregações em uma área aberta atrás do salão.

 

Logo depois, Aimee comprou uma lona para montar uma tenda. O que ela não contava era que a lona estava rasgada; por sorte, várias pessoas se ofereceram para ajudá-la a remendar a lona.

 

As campanhas, realizadas entre 1915 e 1918, alcançaram milhares de vidas e foi nesse período que o ministério de cura divina começou a crescer na vida de Aimee. Muitos milagres aconteceram diante de multidões que louvaram e glorificaram a Deus.

 

Um dos milagres aconteceu com a própria Aimee. Em uma das pregações, uma lâmpada de querosene explodiu em seu rosto e causou uma queimadura. Ela ouviu um homem dizendo que ela não iria mais pregar por causa do acidente. Era uma pessoa cética e crítica que dizia assim: “A ‘pregadora da cura divina’ não vai prosseguir com seus trabalhos”. Ao ouvir isso, Aimee começou a reunião com um cântico e em determinado momento ergueu suas mãos para glorificar a Deus e as feridas foram desaparecendo na frente de toda a multidão. Ao final do culto, Aimme estava com sua pele completamente restaurada.

 

O ministério internacional iniciou-se em 1922 em uma campanha na Austrália, seguida de outras em várias nações.

 

Por onde Aimee Semple McPherson passava milhares de pessoas se convertiam e outras milhares eram curadas e libertas. Ela não se preocupava apenas em pregar a salvação e a cura, o batismo com o Espírito Santo também fazia parte de suas prioridades. Aimee sabia que todos os que recebiam esse batismo teriam poder para vencer as barreiras e permanecerem firmes na Palavra de Deus.

 

O fim de seu ministério e morte

 

A grande alegria de Aimee era estar diante de uma congregação pregando o Evangelho de Jesus. Ela gostava de mostrar que Ele salva, batiza com o Espírito Santo, cura e voltará em breve como Rei.

 

Aimee já estava com sua saúde muito debilitada, mas mesmo assim fez seu último sermão no auditório cívico de Oakland, cidade onde recebeu a mensagem quadrangular 22 anos antes. A data foi 26 de setembro de 1944; sua pregação, como sempre, foi regada de emoção e da virtude do Espírito Santo.

 

Aimee foi para o hotel descansar e não acordou mais. No outro dia, 27 de setembro de 1994, seu filho Rolf a encontrou morta. Ali terminou seu ministério, um ministério que, até hoje, serve como exemplo para àqueles que abraçaram a causa de Cristo, que é “pregar o Evangelho a toda criatura” (Mc 16.15).


 
 



           



Postada em: 08/06/2011 - 16:38
Categoria: Geral
Voltar a Página Anterior
Página Inicial


   
Copyright © 2011 - Igreja do Evangelho Quadrangular - 3ª Região - Uberlândia/MG
Rua Augusto Machado, 175 - Bairro Luizote de Freitas - CEP 38414-298
Todos os Direitos Reservados - http://www.ieq3.com.br
Desenvolvido por DaenSystem